quinta-feira, 27 de setembro de 2012

127ª Mensagem - Inocência...

127ª Mensagem Psicografada
27 SET 2012
9hs48min A.M.

Inocência 
"Eu quelo conta uma hitória...eu quelo conta como foi que a mamãe me regatou...
Eu tava lá...lá naquele bulaco ecuro, frio e cheio de matinho...o matinho quase me cobia e o bulaco ela tão gande que memo que eu erguesse meu bacinho ninguem podelia me ve ou ouvi...eu tava lá por causa de um acidente de calo, há muitos anos atlás, junto dos meus papais biolózicos...eu sentia muito fio e muito medo...até que eu vi essa minha nova mamãe, me estendendo os baços, segulando minha mãozinha fia e me regatando...em seguida eu cheguei a uma sala, onde muita gente tava tabalhando e lezando...eu pude obsevar que minha mãe biolozica também tava lá, e tinha uma ota tia, que cholava muito e acusava minha mãe de ter me loubado dela...
Foi então que essa minha mamãezinha aqui me entegou para alguns tios, que me colocalam em uma epécie de maca e me transportalam pala a minha casinha, aqui no Lar Celetial...antes eu fiquei um poquinho no hopital, tomando umas sopinhas...quando eu tava sendo colocada na maca eu ainda pude ovir essa minha mamãezinha eplicando para a tia que tava cholando, nevosa, que eu já tava bem, entegue nas mãos dos Anjos e que ela se acalmasse...
Passou algum tempo e logo eu me lecupelei de todo aquele medo e susto e lecebi a notícia que podelia vir conhece esta nova mamãezinha.
Eu vim tazida por alguns tios aqui de cima e quando eu cheguei fiquei deslumbada com o calinho que vi botando do colaçãozinho dessa mãezinha...quanto sofimento eu podia enxergar com meus olhinhos do colação...quanta dor...ao memo tempo quanto amor...quanto lespeito pela espilitualidade (quando eu cheguei ela tava espicando pala seus filhos - hoje meus irmãozinhos - a importância da amizade e da união)...
Há...eu equeci de conta que aquele acidente havia feito com que eu pedesse a minha visão...mas com a minha ida pala o Lar eu apendi que aquilo que podemos senti é bem mais impotante do que o que podemos ve...
Eu fiquei lá, bem quetinha, esplando ela termina de convesa e quando o assunto tava quase teminando o tio me falo que eu podia me manifetar atavés da mamãe...ele me espicou como eu podia faze isso pelo colaçãozinho dela e com algum medo eu fui...o colação dela é tão bilhante...tão quentinho...entei e já comecei a fala, com uma alegia que tinha me contajiado...
Todo mundo fico me olhando, pestando atenção e eu...como uma lagatinha, se tansformando em boboleta, fui renascendo pala esse vínculo de amor eterno...palei um poquinho pala lespilar...absorve a difelença de atmosfela e quando me dei conta eu vi o espilito dessa minha amada mamãezinha colocando toda a sua Luz sob meus olhinhos espilituais e lepetindo...Luz...Luz Senhor! Luz...Luz...Luz... 
 Foi com uma alegia imensa que me redescobi enxergando tudo e todos...pude ve como é a minha nova familia...meu papai, meus imãozinhos...agola eu podia ve com os olhinhos e ve com o espílito... neste momento me senti completamente envolvida pela Pesença Divina e agadeci o gande pivilégio que lecebi...
Hoje, um dia dedicado à INOCÊNCIA e PULEZA de colação das quiancinhas eu pedi ao Papai do Céu, que me pemitisse vi até aqui, conta a minha hitólia, pala mais uma vez louva à Deus por sua Perfeição e Sabedolia...louva a minha mãezinha quelida, que tem me aquecido de amo...ao meu papai, tão feliz por me ter...aos meus imãozinhos, que ficam tão felizes com a minha pesença e a todas as quiancinhas que infelizmente ainda tão pela elaticidade...eu quelo dize à elas: CONFIEM NO PAPAI DO CÉU...CHAME PO ELE...ELE ILÁ PERMITI QUE ANJOS APALEÇAM ILIMINANDO SEUS CAMINHOS E LHES PESENTEALÃO COM A PAZ E ALEGIA QUE HOJE TOU SENTINDO...CONFIEM...OREM...CONFIEM...OREM...CHAMEM O PAPAI DO CÉU...

Malia Cala Babosa Cassalho... 3 anos e um pouquinho...
(Maria Clara Barbosa Cassalho)

há...a mamãe diz que EU SOU UMA ESTELINHA, LINDA, INTELIGENTE, ELEGANTE...UMA DAMA...
TE AMO MAMÃE