sexta-feira, 20 de julho de 2018

Um Encontro comigo mesma...


Momento Encontro com a Espiritualidade

Um Encontro comigo mesma...



Pego minha chave e me coloco pronta para abrir a porta, atravessá-la e me lembrar de quem eu sou desde antes desse tempo...
Parece desconfortável...dolorido até...mas eu tenho a chave e sei que está na hora de abrir esse portal...
Preciso disso para me reconhecer em minha essência...
Preciso disso para completar o que venho praticando...
Preciso disso para me sentir mais feliz e assertiva em meus atos...
Até agora eu semeei...semeei e semeei...
Sinto essas sementes brotando dentro de mim...vejo os brotos vivos e viçosos...
Ao contrário do que meu corpo demonstra nesse momento, eu sinto a vida que vim aqui para viver, me cumprimentando pela trajetória que já percorri...
Eu sei que é chegado o momento de voltar...
Eu sei que meu coração já está lá, no lugar de onde eu vim, sendo fortalecido...
Eu sei que completei essa etapa do meu viver e agora inicio uma nova época, onde eu sou mais o que sou em minha alma...
Sabe aquele momento em que nascemos para essa vida...todas aquelas dores do parto...todos os preparos para sair de uma dimensão e adentrar nesse mundo terreno? Então...é exatamente assim que eu me sinto: sendo a criança cuja mãe (meu corpo atual) está em trabalho de parto.
Tudo parece doer...as vezes em um só momento, outros são dores em lugares específicos e em momentos diferentes...
Mas eu sei e sinto que esse momento vai passar no tempo exato em que eu descobrir como me perceber como de fato eu sou e para isso eu preciso abrir a porta.
Preciso dar os passos que me colocarão nesse novo portal/tempo.
Aprendemos coisas enquanto aqui vivemos...aprendemos a identificar sentimentos, aprendemos a sentir essas emoções em suas diferentes nuances e potências, e temos também que aprender a viver essas mesmas emoções junto àqueles que amamos – penso que essa tem sido para mim a fase mais difícil – aprender a liberar e saber ficar em silêncio, mesmo que o outro esteja “sofrendo”. Faz parte do aprendizado dessa outra pessoa também passar pela dor.
O fato é que de repente, de um momento para o outro, tudo ficou claro.
Não há sofrimento físico que possa ser interpretado pela ciência do homem...não há culpados ou malfeitores...tudo faz parte única e exclusivamente da minha própria evolução e das decisões que vim tomando pelo caminho.
E calculando o saldo de tudo isso, que agora parece tão mínimo diante do que combinei realizar, percebo que caminho pelo positivo e sou muito amada e orientada e protegida...
Por um período eu esqueci do quanto era importante eu me amar...me dediquei tanto a amar o próximo que esqueci completamente que somente o me amar é que me manteria forte e saudável e talvez por essa razão meu corpo se sente doente. Minha mente também assim se sentia até quase agora.
Foi nesses momentos de dores intensas que eu entendi que não estou doente...estou renascendo para um tempo novo...estou renascendo para uma nova etapa da minha caminhada evolutiva...estou reencontrando o meu íntimo e me percebendo completa e feliz...feliz porque consegui cumprir a primeira etapa...não estou mais triste com outras pessoas e nem mesmo triste porque elas caminham em um tempo diferente do meu...estou feliz porque eu estou no meu tempo exato e não mais confusa.
Estou bem acordada para essa nova etapa e agradeço por esse Momento Encontro com a Espiritualidade...
Agradeço por me permitirem levantar parte do véu que trazemos conosco quando aqui chegamos...
Por Diva Barbosa
20 JUL 18 – 10hs27min

                                                                                                            


quarta-feira, 18 de julho de 2018

Por um dia melhor!!!


Por um Amigo Espírito Guia, transcrito por Diva Barbosa
Da série Encontro com a Espiritualidade

Por um dia melhor!!!



Faça como se fosse o seu último momento a ser vivido aqui nessa dimensão...
Faça como se esse dia fosse o momento adequado e permitido para você corrigir todos os seus equívocos, sejam eles praticados por falta de vivência ou conhecimento ou mesmo sejam eles realizados conscientemente...
Faça, como diz a Bíblia do homem, o Grande Livro Sagrado, como gostaria que as outras pessoas fizessem por você...
Comece o dia com a sincera vontade de viver intensamente cada momento desse tempo – nada de lamúrias ou bocejos ao acordar e sair de seu leito – sorria agradecendo verdadeiramente a condição de estar vivo...
Levante-se animado, desembaraçando-se de todos os pensamentos que possam fazer brotar medos, preocupações ou tristezas...
Proceda a sua higiene pessoal com a calma e a dedicação de quem se prepara para o mais bonito e desejado compromisso de sua vida...
Agora serenize seus movimentos, acalme a sua mente e se permita realizar uma perfeita refeição matinal (não importa o que tenha disponível para se alimentar). Consuma esse alimento com o respeito por aqueles que o fizeram chegar a sua mesa e com a graça à Mãe Natureza por prover a sua vida...
Agora reflita sobre o seu próximo compromisso...
Se for trabalhar faça isso com o interesse de quem defende o seu próprio sonho...atente, de fato, para todos os detalhes e necessidades...analise com a emoção do seu coração e proceda com toda a sua sabedoria e desejo de fazer funcionar...pense por um momento, se permitindo acessar seu inconsciente e clamando ao Universo que o ajude a ativar as informações necessárias para a perfeita realização dessa tarefa...
Se for praticar algum esporte, lembre-se de antes, conversar consigo mesmo, entendendo a mensagem que o seu corpo lhe oferece...preste atenção aos sinais que ele te oferta...corrija a postura e especialmente a respiração...pratique com alegria...
Se for cuidar de sua moradia preste muita atenção nisso. Esqueça a informação concedida pela sociedade de que esse é um trabalho desmerecido. Ao contrário, veja essa possibilidade que lhe é entregue com a felicidade daqueles que recebem a permissão de cuidar dos bens mais valiosos – essa é uma função apenas entregue àqueles em que mais se confia e honra. Cuide de cada item como se fosse uma peça de uma obra de arte. Seu lar é seu ambiente santo e harmonizar todos os ambientes é ter a graça de abençoar toda uma família, diuturnamente. É como viver em estado de benefício sagrado...
Se o seu dia for dedicado a receber pessoas então lhe é dada a instrução para fazer isso da forma mais desprendida possível. Nada de inseguranças, vergonhas, sentimentos de que não há o suficiente para ser oferecido ou então de que nada há para ser dito...o seu calor, o seu olhar gentil e atencioso, o seu sincero desejo de ouvir, o simples segurar nas mãos ou o oferecer qualquer que seja o alimento disponível, ainda que seja uma porção de água (alimento sagrado), faça-o sem qualquer constrangimento e com amabilidade. Quando somos o que somos em nossa verdade mais íntima mostramos nossa força, nossa sabedoria e o brilho de nossa existência...exatamente isso é que torna todos os encontros um momento mágico de bênçãos e afinidades.

Se o que você deseja é um dia melhor então faça o seu melhor, como se o fizesse para você mesmo ou para aquele que mais ama.
Parece trabalhoso...parece que não terá tempo suficiente se fizer tudo da maneira recomendada acima...parece sem propósito ou mesmo ingênuo...eu te oriento a fazer um experimento...invista em sua felicidade oferecendo o seu melhor à vida em seu entorno...e deixe que o Universo lhe traga de volta o broto da semente que você mesmo germinou...

Por um Amigo Espírito Guia, transcrito por Diva Barbosa
18 JUL 18 – 7hs14min


terça-feira, 17 de julho de 2018

Amizade


Por um Amigo Espírito Guia, transcrito por Diva Barbosa
Da série Encontro com a Espiritualidade

Amizade



Ei...ele já chegou me questionando: você é minha amiga?
Confesso ter ficado um tanto embaraçada – como assim um Espírito Guia me perguntando se eu sou amiga dele?
Claro que sendo Ele um Ser Iluminado eu me considero sua amiga, esse foi o meu primeiro pensamento.
Em seguida logo também me questionei: porque ou como ser amiga de um espírito? Qual a relevância dessa relação ou até mesmo de discutirmos esse tema?
E com muita clareza, esse meu novo e irreverente amigo, me fez entender que se não houver verdadeira amizade entre todos os povos, entre todas as culturas diferentes, entre todas as pessoas, muitas e muitas vezes reviveremos nessa e em outras dimensões, com os mesmos padrões corporais ou com roupagens diferentes, até que aprendamos que somos irmãos de uma mesma Criação, ligados por laços eternos de Amor Incondicional, cuidados e instruídos para atingirmos um mesmo grau de afinidade.
Tão difícil isso hoje em dia...
Tão difícil você olhar para o seu próximo com olhos interessados em, de alguma forma, promover um bem àquela pessoa...
Tão difícil nos desligarmos de nossos problemas pessoais e buscarmos uma forma de efetivamente ajudarmos a outra pessoa...
Tão difícil termos amizade mesmo por aqueles que fazem parte do nosso círculo de família, o que dirá então sermos presentes na história de cada um daqueles que conosco trabalham, estudam, praticam lazer, etc
Enquanto eu pensava em tudo isso o meu amigo pacientemente me observava...ficou o tempo todo (pareceu uma eternidade) me observando com olhar meigo e compreensivo.
Ele não precisou me falar para que eu compreendesse, assim que olhei em seus olhos, que a amizade é sentimento fundamental para a evolução hominal.
Se temos amizade, temos também confiança, respeito...temos a necessidade de sempre fazer o melhor...
O fato de confiarmos no próximo, de respeitarmos suas necessidades e suas opiniões, de oferecermos sempre o que melhor existe em nossa intimidade – e se TODOS fizéssemos isso, tivéssemos esse comportamento, percebo agora que praticamente não teríamos problemas...
Onde foi que a sociedade se perdeu em seus valores?
Quando foi que deixamos de olhar para os outros com sincera e desinteressada bondade?
Quando deixamos de valorizar o impalpável, imensurável, para somente valorizarmos o material?
Se pelo menos voltássemos a colocar nossos melhores sentimentos à frente de nossas conquistas materiais talvez assim pudéssemos regressar ao tempo original...
Ou seria melhor dizer que talvez pudéssemos chegar ao tempo futuro...
Seja o tempo passado...seja o tempo futuro...seja o momento atual... sempre é tempo de plantarmos a semente da amizade por todos os caminhos que percorrermos.
E é impressionante como a amizade, como o olhar afetuoso, como a simpatia, como o companheirismo, como a benquerença, como a combinação e a camaradagem transformam nossos sentimentos e nos fazem mais fortes e felizes...
Agora é um tempo muito especial...aprendi, senti em meu coração, a força da verdadeira amizade: uma simples pergunta do meu amigo/Guia, acompanhada de um olhar paciente e amoroso, foram o suficiente para eu compreender a GRANDEZA da AMIZADE...
O nosso desejo, do meu Amigo/Guia e meu, é que o sentimento de amizade se faça presente em nossos corações, se multiplique em nossas ações e preencha todas as almas com paz e alegrias.
Por um Amigo Espírito Guia, transcrito por Diva Barbosa
17 JUL 18 – 7hs5min

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Por um tempo melhor


Por um Amigo Espírito Guia, transcrito por Diva Barbosa
Da série Encontro com a Espiritualidade
Por um tempo melhor



Por verdadeiros sentimentos de reconhecimento às dádivas recebidas...
Por pensamentos claros e firmes na certeza da existência de um Ser de Maior Sabedoria que nos ama e nos cuida...
Por palavras incentivadoras de uma vida de fé, de prática da caridade e de construção de uma sociedade humana mais amiga, mais companheira, mais receptiva à presença divina...
Por atos que sejam reflexos do amor incondicional que nos foi gentilmente ofertado pela nossa Senhora Mãe de Jesus...

Por aprendizado...
Por gentilezas...
Por sincero interesse no bem e na evolução do irmãozinho ao lado...
Por compartilhar sementes e por um germinar de lindas, exóticas, perfumadas e singelas flores...

Pela grandeza de já ter vivido em outras roupagens...
Pela grandeza de ter alcançado o raciocínio perfeito...
Pela grandeza de ser o portador do princípio do amor...
Pela glória de ser também um gerador de novas vidas inteligentes...

Por dias de luz...
Por dias de paz...
Por momentos de união...
Pela nobreza de ser um combatente da luz...
Pela humildade de se reconhecer um desdobrador das perfeições sagradas e agir com simplicidade absoluta...

Por um tempo onde as pessoas se sintam como reflexos umas das outras
Que suas vivências sejam modelos refletores para os que estão à sua volta
E que suas existências exalem o amor santo do nosso Criador
Ensinando a virtude de ser um Filho da Luz

Por um Amigo Espírito Guia, transcrito por Diva Barbosa
16 JUL 2018 – 6hs49min
  



sábado, 14 de julho de 2018

Solidão ou o Silêncio da Mente


Por um Amigo Espírito Guia, transcrito por Diva Barbosa
Da Série: Encontro com a Espiritualidade

Solidão ou o Silêncio da Mente



Sabe aqueles momentos em que você deseja ardentemente que a sua mente silencie todos os rumores que insistentemente gritam aos seus ouvidos?
Aquele dia em que parece que tudo está errado, fora do lugar, ou mesmo propositalmente plantado ali para te desestabilizar?
Aquele instante em que como em um grito de socorro você exclama:
- Parem já com isso...não quero ouvir esses pensamentos! Quero dormir e acordar como se nada tivesse existido e como se eu não precisasse tomar nenhuma decisão.
Nessa hora tudo o que mais desejamos é que o silêncio tome conta de nossa mente, correto?
Na maioria das vezes o silêncio não chega.
O que chega é uma sensação um tanto desconfortável de solidão.
Parece que todos a sua volta não percebem o momento de hesitação ou a sensação de irresolução que você está sentindo...
Parece até que as pessoas não te enxergam ali...passam por vocês, felizes e desprendidas de qualquer sentimento de tristeza ou vazio...brincam umas com as outras...executam suas atividades...o mundo segue normalmente – apenas você se sente sozinho em meio a essa multidão, e reclama com Deus sobre isso...
Exatamente assim! Seja qual for a sua religião ou filosofia de vida, quase sempre a maioria dos seres humanos, nessa hora, questionam o seu sofrimento ou a sua dor.
Entendem que são vítimas...não conseguem atravessar a história do tempo (talvez porque a maioria ainda mantém suas memórias adormecidas – há controversa sobre esse tema) e não percebem que não se trata de solidão e sim do silêncio que a mente alcança para que assim consiga ouvir a voz do seu inconsciente e encontrar uma resposta firmativa.
A maioria das pessoas ainda não compreendeu a importância de se permitirem sentir emoções conflitantes para a partir daí não terem nenhum receio de se sentirem sozinhos.
Quando estamos apenas conosco podemos ouvir nossa voz interior e ela é, definitivamente, nossa melhor conselheira e a única que sabe qual caminho devemos percorrer ou qual resposta temos que aplicar.

Por um Amigo Espírito Guia, transcrito por Diva Barbosa
Da Série: Encontro com a Espiritualidade
14 JUL 18 – 10hs15min